Articulação das Entidades Psicanalíticas Brasileiras

Desde julho 2000

A Articulação das Entidades Psicanalíticas Brasileiras é um movimento que, desde julho de 2000, vem defendendo a Psicanálise de constantes tentativas de sua regulamentação e apropriação por instituições alheias ao seu campo, a maioria ligada a igrejas evangélicas, o que acarreta sérias distorções de seus conceitos fundamentais e dos pressupostos que regem a formação de um analista. 

O movimento de Articulação das Entidades Psicanalíticas Brasileiras fundamenta a Psicanálise e a defende como um ofício, uma prática, e não como profissão passível de regulamentação, tendo inclusive dado origem ao livro publicado em 2009 (Ofício do Psicanalista, Formação versus Regulamentação. São Paulo, Ed. Casa do Psicólogo – enviado conjuntamente com esta Representação) organizado e composto por artigos de psicanalistas das principais instituições de formação de analistas do país.

E como enfatiza o psicanalista francês Jacques Lacan “a Psicanálise não se transmite como qualquer outro saber”, uma formação analítica não pode ser confundida com cursos de pós-graduação, pois o saber que está em jogo é o da singularidade de um inconsciente escutado, bem como a capacidade de um analista nele intervir. Portanto, estes dispositivos não são passíveis de regulamentação. 

(Excertos extraídos do texto "Representação ao Ministério Público Federal")